EVENTO: 30 out. Está acontecendo aqui? Utopia e distopia na era Trump

No próximo dia 30 (sexta-feira), às 14h, estaremos na Unirio com a prof. Alice A. N. Pereira, do IFF, para a palestra intitulada “Está acontecendo aqui? Utopia e distopia na era Trump”. O evento é aberto ao público.

Em 2016, a disputa entre a democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump revelaram uma sociedade americana profundamente dividida, em um momento no qual as tensões internas acirraram as discussões políticas. Trump venceu e se tornou o 45º presidente dos Estados Unidos. Uma personalidade carismática, falas simplistas e discurso nacionalista tornaram o ex-apresentador de reality show o líder da maior potência hegemônica atual. Os posicionamentos e propostas de Trump reavivaram temores de que os EUA poderiam estar caminhando para um regime autoritário e intolerante. Suas políticas até o momento não conseguiram acalmar os ânimos, mas a esquerda americana se reorganizou e teve uma importante vitória nas últimas eleições para o Congresso.

Embora Trump tenha se colocado como o candidato que tornaria a América Grande novamente, remetendo-se a um passado impreciso com uma retórica permeada por um impulso utópico, tal pensamento parece mais excludente que inclusivo. É patente um tom de controle, violência e supressão da diversidade. Esse desenrolar dos acontecimentos soa similar à trama do popular romance distópico “Não vai acontecer aqui”, de Sinclair Lewis, publicado em 1935, durante o período da Grande Depressão. Na obra, o magnético demagogo Berzelius “Buzz” Windrip ganha a eleição contra Franklin Roosevelt. Ao assumir a presidência, dá inicio a um governo totalitário, e gradualmente percebemos a extensão da truculência e crueldade do novo regime. Almejamos nesse trabalho discutir o pensamento utópico presente na retórica de Donald Trump, os medos distópicos que sucederam sua eleição e a sua atual retórica após dois anos de governo. Uma análise de “Não vai acontecer aqui” e dos discursos do presidente Trump nos possibilita discutir fatores da cultura americana e seu imaginário coletivo que informem uma leitura do contexto político atual. Podemos ver que muitas das questões problematizadas por Lewis nos anos 30 do século passado, no que tange à cultura e sociedade estadunidenses, ainda hoje estão latentes, e utopia e distopia podem funcionar como chaves de interpretação para as circunstâncias atuais nos EUA, no Brasil e no mundo.

Cartaz 2018-11-30